Estudantes sem transporte escolar


Segundo rumores nada oficiais, a Prefeitura de Candói com toda a sua representatividade política no governo federal será incapaz de fornecer os ônibus escolares no dia 14 de fevereiro, início do ano letivo.

Mais uma vez os estudantes serão prejudicados.

Destaco apenas que a Secretaria de Educação antecipou os valores referentes ao transporte escolar para o início de fevereiro. Antes a ajuda do governo estadual chegava ao cofre da prefeitura em abril.

O problema não é dinheiro. É ingerência.

Anúncios

Aprenda Inglês com o Ratinho


Fórmula mágica não oferece resultado qualitativo.

O programa do Ratinho apresentou um novo método para ensinar a ler a Língua Inglesa e supostamente falar em Inglês. Vou usar o exemplo usado no programa. A palavra FACE foi pronunciada errada tanto pelo pseudo-professor quanto pelo apresentador porque depois da consoante C não há qualquer vogal fonética, isto é; pronunciada, não pronunciamos /feisi/, mas /feɪs/. A palavra BOOK também foi pronunciada errada e a ilógica da tabela também foi desrespeita, mostrando o evidente que é impossível criar regras lógicas para a pronúncia das palavras porque elas simplesmente são influenciadas positivamente ao longo dos séculos por outras línguas e culturas. Não há qualquer vogal fonética depois da consoante K. O correto é pronunciarmos /bʊk/ e não /bouuki/.

A tabela não te ajudará a pronunciar bem as palavras, o que pode tornar o ato comunicativo ininteligível se você usá-la. O sotaque à brasileira será motivo de risos. Não recomendo qualquer estudante de Língua Inglesa usar a tabela porque é irracional e ilógica. Procure uma boa escola de idiomas ou um bom professor, será mais vantajoso. Aprender a Língua Inglesa não é uma tarefa fácil, precisamos de dedicação e muitas horas de estudo. Não há fórmula mágica.

Elas não são as professorinhas municipais, não são as tias, são profissionais!


Um mês de administração petista no município de Candói e tudo está exatamente do mesmo jeito. Eu sei que não é verdade, querido leitor. As mudanças foram físicas, retirar algum departamento ou secretaria de um endereço e colocar em outro supostamente com o objetivo de melhorar o atendimento aos cidadãos e as cidadãs. As vísceras foram expostas. O mais novo prefeito e sem experiência alguma como gestor público, isto é, daquilo que é de todos, resolveu mostrar a incompetência municipal colocando os veículos em péssimo estado de conservação na frente de todos para enxergar o óbvio. As estradas no interior estão a meses sem manutenção porque a gestão anterior parou de fazer a manutenção, bem essa poderia ser a justificativa da gestão petista. No entanto, por que ainda não resolveram? Medicamentos e médicos no Centro de Saúde Municipal ainda não foram resolvidos.

Ainda nas mudanças, as prioridades mudaram, segundo o prefeito Gelson Costa, a Educação receberia atenção especial porque a Escola Municipal Ormi França Araújo está com classes lotadas, com fiação exposta, buracos no entorno escolar e mato, com tecnologia nas salas de aula para auxiliar o professor ou professora, mas sem condições adequadas de trabalho e reconhecimento remunerado pelo trabalho que realizam. O trabalho dessas professoras é o mais importante porque esperam delas a resolução de todos os problemas sociais. Nossas crianças precisam de atenção, mas não é só da professora milagrosa.

O baixo desempenho das escolas municipais de Candói fez alguns infelizes e estúpidos imaginar que a culpa é das professoras, elas têm metodologias ultrapassadas, segundo os ignorantes. O problema seria a metodologia adotada para ensinar nossas crianças.

A observação é mais do que equivocada porque ao contrário de pôr a responsabilidade toda sobre as professoras devemos ir até a escola conhecer o ritmo de trabalho e quantos alunos por turma uma sala de aula tem. O tempo que elas podem dedicar ao trabalho e vida social. Sim. Professoras municipais também têm família e vida social e não são milionárias. Elas trabalham dignamente como todos os demais profissionais e merecem muito respeito. Antes de culpá-las pelo baixo desempenho na Prova Brasil, devemos ler a Constituição Brasileira que diz que a Educação é responsabilidade da Família, Estado e Sociedade. Alguém ficou de fora? Claro, sem dúvida – os vereadores, os prefeitos, os governadores, a presidenta da república – porque não fazem parte da sociedade, essas pessoas estão acima da lei.

Elas não são as professorinhas municipais, não são as tias, são profissionais! Vamos ouvir o que elas querem para realizar seu trabalho?

É possível suspeitar de algumas reivindicações antigas das professoras municipais como a remuneração, salas de aula com menos estudantes por turma, mais tempo para hora-atividade, formação continuada e não a enrolação infeliz como tanto as professoras municipais e estaduais foram perturbadas nos últimos dias. Os problemas da Educação não são resolvidos colocando a culpa nas professoras ou oferecendo Semana Demagógica.

Mais estudantes do CECAK são aprovados no vestibular da UNICENTRO


regisarnaldo

Parabéns Arnaldo Aguirre pela aprovação em Ciências Econômicas.

Parabéns Regis da Silva pela aprovação em Pedagogia.

Parabéns Maria Polliana pela aprovação em Secretariado Executivo.

Parabéns Francisco Miss pela aprovação em Enfermagem.

Estou muito orgulhoso por ter contribuído minimamente para o sucesso de vocês e de alguma forma sentir um pouquinho da emoção de ser aprovado em uma instituição pública e de qualidade como a Unicentro, passar em universidade pública não é para qualquer um. Agora, o desafio é o seguinte: sair da Unicentro com diploma. NÃO SOU PESSIMISTA! Hahahahaha …

maria polianaedit

Mobilização na internet obriga governo pagar férias a professores


* Tentativa de calote tucano durou menos de 24 horas

Do blog do Esmael Este blog registrou ontem (26) que os professores e funcionários das 2,1 mil escolas da rede estadual do Paraná acessaram o contracheque, via internet, sem a previsão do pagamento de 1/3 de férias para o mês de janeiro (leia mais sobre isso clicando aqui).

Temendo levar mais um calote do governo de Beto Richa (PSDB), os educadores se mobilizaram nas redes sociais ao longo do dia. Em pleno sábado, houve milhares de compartilhamento da informação que obrigou a Secretaria de Estado da Educação (SEED) a republicar o holerite com a correção.

“Meu caro Esmael Morais, o barulho foi tanto que a SEED corrigiu os contracheques em pleno sábado. Segundo relato de alguns colegas, os professores amanheceram o sábado sem as férias, mas foram dormir com elas, pelo menos no contracheque”, anotou Amarildo Magalhães, de Paranavaí, no Noroeste do estado.

A professora Tânia Cabral, de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba, foi mais enfática na crítica ao governo tucano: “Agora não falta mais nada! Cria uma matriz única, deixa centenas de professores sem aulas, não assume a responsabilidade das horas-atividade, “perde” os tablets enviados pelo governo federal e não paga as férias dos professores… Pensando bem, falta uma coisa sim: mandar a cavalaria surrar os educadores do Paraná!!!”, protestou.

“Em 18 anos de profissão é a primeira vez que isto acontece. Eu odeio este governador”, desabafou a professora Sibele Ganz, de Curitiba.

O governo Richa não se pronunciou oficialmente sobre o episódio, mas, devido à pressão dos professores e funcionários, o contracheque foi corrigido e a promessa de que o pagamento sairá na próxima quarta-feira (30) foi renovada.

PROFESSORES DO PARANÁ LEVAM CALOTE NAS FÉRIAS


Do Blog do Esmael – Imagine o cenário em que você e sua família tiram férias, vão à praia ou a qualquer outro local após um ano inteiro de labuta, pois planejaram descanso merecido de acordo com seus salários e vencimentos.

Pois bem, no governo de Beto Richa (PSDB) os professores não podem planejar nada. Os mestres das 2,1 mil escolas da rede pública estadual foram surpreendidos ontem (25) com o contracheque sem o 1/3 férias previsto.

Cerca de 70 mil professores paranaenses levaram o calote do governo do PSDB. A Secretaria de Estado da Educação (SEED), até agora, não se manifestou sobre o caso e nem deu pista se vai rodar uma folha complementar. O dinheiro tem que estar depositado até a próxima quarta-feira (30).

O clima é de revolta entre os educadores que utilizam as redes sociais – e pediram socorro a este blogueiro — para protestar contra a “sacanagem” do governo tucano.

Muito estranho esse calote do governo do Paraná nos vencimentos dos professores. Não há motivos aparentes para a falta de recursos. Obras de infraestrutura não há. Projetos estratégicos também não são vistos por aí. Será que a exagerada criação de cargos em comissão comeu o orçamento do Estado e deixou os professores chupando os dedos?

Será que o calote aos professores tem a ver com alguma manobra contábil? Como sabemos, o governo do estado ultrapassou o limite de gastos com a folha de servidores determinados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Por causa disso não consegue tomar recursos emprestados junto ao BNDES e outros órgãos financeiros.

O calote nas férias dos professores tem potencial explosivo, pois está em gestação uma greve da categoria em março pelo cumprimento de outro 1/3, o da hora-atividade. Quando atacada no bolso, o órgão mais sensível do corpo humano, essa tropa fica com o humor alterado (e como).

Governador Beto Richa, cadê o dinheiro do 1/3 de férias dos professores? Responda rápido porque os mestres estão assando na praça a sua batata…

Índice de Eficiência do Ministro ou da Ministra


424513_123419241164020_349849665_n

IEM – O Índice IEM foi criado por mim para avaliar a eficiência do ministro. Ele varia de 0 a 10.0. Abaixo de 6.0 está reprovado. Os critérios estão a eficiência dos programas, como o do Livro Didático, o ENEM e as provas Brasil. Naturalmente que os resultados negativos das escolas nas provas Brasil reduzem drasticamente a eficiência do ministro.